La Poesía como Destino: espacio personal de la escritora mexicana Marisol Vera Guerra

20.12.10

la ciudad más grande del mundo

yo no estoy viajando. quien viaja está dispuesto a perderlo todo.
yo siempre quiero retornar

la ciudad no estaba allí, sino en un rugido

el simple aleteo del polvo escribiendo historias paralelas

luces frías como de nieve quemando la entrepierna de una estatua

Fotografías: Marisol Vera Guerra

1 comentario:

  1. Por minha grande falta de jeito, mas com o desejo de também partilhar o espírito desta quadra, partilho de Vitorino Nemésio, um outro Natal,

    «Percorro o dia, que esmorece
    Nas ruas cheias de rumor;
    Minha alma vã desaparece
    Na muita pressa e pouco amor.
    Hoje é Natal. Comprei um anjo,
    Dos que anunciam no jornal;
    Mas houve um etéreo desarranjo
    E o efeito em casa saiu mal.
    Valeu-me um príncipe esfarrapado
    A quem dão coroas no meio disto,
    Um moço doente, desanimado…
    Só esse pobre me pareceu Cristo.»

    Com um sincero desejo de uma quadra plena,
    Um imenso abraço,

    Leonardo B.

    ResponderEliminar